Biblioteca Viva

segunda-feira, 21 de maio de 2018

CONCURSO NACIONAL DE LEITURA | 12.ª EDIÇÃO | 24 de MAIO de 2018



No âmbito do Concurso Nacional de Leitura, o concelho de Coimbra será representado, na Prova Intermunicipal, no 1.º Ciclo, por um aluno da EB1 de Almas de Freire, do AECO! 
MUITOS PARABÉNS!

O programa será o seguinte:


 BOM TRABALHO! BOA SORTE!


terça-feira, 17 de abril de 2018

HÁ POESIA na ESCOLA

   
   


     


   



   



      E à pergunta «Há Poesia na Escola?» responderam, de forma eloquente, os alunos da Escola Inês de Castro. 
      Aqui fica o registo...




sexta-feira, 13 de abril de 2018

MARÇO, MÊS DE LEITURA (S)



ENCONTRO COM O ESCRITOR

ALEXANDRE PARAFITA





    A obra de Alexandre Parafita, autor com experiência no jornalismo, docência, investigação e ensaísmo, faz parte do PNL, integrando manuais escolares de vários níveis de ensino.

      No dia 6 de março, os alunos do 6.º D, cuidadosamente preparados pela professora Otília Mignon, foram conhecer este escritor, levando-lhe, como generoso presente, a leitura dramatizada de um texto coletivo, elaborado a partir de uma recolha de textos do autor.
      Portaram-se muito bem na apresentação deste trabalho, o qual agradou visivelmente ao autor!
      MUITOS PARABÉNS A TODOS!



OLIMPÍADAS DA ORTOGRAFIA


      Numa articulação entre a Biblioteca e as docentes da disciplina de Português do 2.º Ciclo, realizou-se, na manhã do dia 7 de março, na Biblioteca Escolar, a 2.ª Fase das Olimpíadas da Ortografia 2017-18.
          Muitos parabéns a todos os participantes!
          Muitos parabéns aos vencedores!


RESULTADOS FINAIS - 5.º ANO

1.º LUGAR

F. M. D.

5.º E

N.º 7

2.º LUGAR

B. S. D. C.

5.º C

N.º 2

3.º LUGAR

G. M. L.

5.º D

N.º 7


RESULTADOS FINAIS - 6.º ANO

1.º LUGAR

C. R. M. M.

6.º A

N.º 5

2.º LUGAR
(ex aequo)

A. S. B. F.

6.º B

N.º 1

2.º LUGAR
 (ex aequo)

E. R. C. A.

6.º A

N.º 7




«LER CINEMA na BIBLIOTECA»



        Nos dias 8 e 13 de março, os alunos do 8.º A, 8.º C e 8.º D, com a calorosa orientação da professora Teresa Paula Lopes, «leram cinema», numa atividade resultante da articulação entre o Plano Nacional de Cinema, as disciplinas de Português, Educação Visual e a Biblioteca Escolar.
        A surpreendente e desafiante viagem proposta aos alunos passou pelo visionamento de pequenos filmes de animação como Out of the Box, Man, Happiness, Delivery, The Legend of the Crabe Phare e Piper. E que belas leituras os alunos deles fizeram...


O TEATRO VEIO À BIBLIOTECA!




        No dia 12 de março, os alunos do 6.º A, 6.º B, 6.º C, 6.º D, 6.º E e 6.º F tiveram oportunidade de assistir ao divertido espetáculo «OS PIRATAS», encenado pela companhia de teatro «Caixa de Palco», a partir da obra homónima de Manuel António Pina.
        No final da sessão, os alunos que ainda não tinham tido oportunidade de ler a obra mostraram-se muito motivados para enfrentar essa tarefa.
        Que boa forma de promover a leitura!


       A nossa Biblioteca recebeu ainda a visita do espetáculo «O PRÍNCIPE NABO», baseado na obra homónima de Ilse losa e encenado pela companhia de teatro AtrapalhArte.




       Cheios de entusiasmo, os alunos do 5.º A, 5.º B, 5.º C, 5.º D e 5.º E, que  em breve irão estudar este texto dramático nas aulas, aplaudiram a inspirada e refrescante leitura da obra que lhes foi apresentada... 

























      Março foi, de facto, um mês de boas leituras!




quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

UM CASTANHEIRO CONTA ÀS OUTRAS ÁRVORES A HISTÓRIA DA SUA VIDA...




Um castanheiro conta às outras árvores 
a história da sua vida     


    “Era dia de assar castanhas naquele lar. Eu e as minhas irmãs castanhas fomos lançadas no assador. Tive sorte, bati na asa e caí para trás de uma arca. 
   Fiquei ali uns tempos, até que a dona da casa, fazendo as limpezas, me encontrou e, alvoraçada, chamou o marido. Este ficou admirado, pois eu já tinha um grelo com meio metro. 
  Cavou um buraco na terra e ali permaneci, naquela escuridão, até ver a chama do Sol.”

José dos Santos
87 anos, avô
29/11/17

        

              Foram estas luminosas e fecundas palavras que, na tarde do dia 21 de dezembro, abriram a sessão de leitura partilhada de textos apresentados pelos pais, encarregados de educação, familiares e alunos do 9.º A, no âmbito do Desafio de Escrita Criativa «88 Palavras para Contar uma História de Natal». 
          Esta sessão resultou de uma iniciativa dos alunos, que, atendendo à expressiva adesão a este desafio (o qual contou com a participação de todos os alunos da turma bem como a de nove familiares, entre eles um jovem avô de 87 anos...), organizaram este encontro, para o qual convidaram todos os pais e familiares, os professores da turma e a Coordenadora da Escola.

           As sábias palavras do"avô-castanheiro" deram o mote e a magia do que se seguiu ficará gravada na memória de todos... 





domingo, 7 de janeiro de 2018

88 PALAVRAS PARA CONTAR UMA HISTÓRIA de NATAL...


Como estarão lembrados, o nosso difícil «Desafio de Escrita Criativa» consistia em contar uma história de Natal, protagonizada por uma árvore, utilizando apenas 88 palavras, sendo duas delas, obrigatoriamente, «chama» e «escuridão».

Missão impossível?...

Longe disso, a avaliar pela enorme variedade, qualidade e criatividade dos textos apresentados!







MUITOS PARABÉNS A TODOS OS PARTICIPANTES!




sábado, 9 de dezembro de 2017

O 6.º F deseja BOAS FESTAS a TODOS!





Muitos parabéns aos alunos e ao professor de Educação Tecnológica do 6.º F por este magnífico presépio, todo ele criado a partir de materiais reciclados!




quinta-feira, 23 de novembro de 2017



O inverno

Chegou o inverno. Sinto a sua chegada dentro de mim. Lá fora, as árvores devem sentir o mesmo. As suas bonitas folhas, enregeladas, caem formando um manto colorido sobre a geada da manhã. Gosto do inverno, de ouvir a chuva a cair e a formar poças de água, de estar em casa à lareira a comer castanhas. É reconfortante.
Apesar do frio, a árvore não cedeu! A minha árvore que plantei há muito tempo, num jardim ainda despido. Lembro-me de quando era mais nova me encostar a ela. Era como se me abraçasse e me envolvesse no seu tronco rígido mas acolhedor. Estendia para mim uma cama fofa de folhas coloridas, vermelhas, amarelas, castanhas... Podia passar lá horas e horas, envolvida pelo silêncio. Costumava ler-lhe histórias e falar com ela, pois, na minha inocência, acreditava que os seus frutos ficariam mais doces e as suas flores mais belas.
Agora sinto que ela também está mais velha, que as folhas já não brilham tanto, que o seu tronco já não se molda em mim. Apesar disso, continuo a sentir a sua presença e a acreditar que vai sempre ser assim! 
A.M.P., 9.º A